Skip to content Go to main navigation Go to language selector

Trabalho no GFTC integra e agiliza processos no Brasil

2 min read

O programa de ensaios em voo e verificação do Gripen E acontece hoje em passo acelerado em três locais de teste: no Centro de Ensaios em Voo do Gripen (GFTC), localizado na planta da Embraer em Gavião Peixoto (SP), na base de Malmen da Força Aérea Sueca e nas instalações da Saab, ambos em Linköping, na Suécia.

"A parte crítica de ensaios em voo do programa está quase completa. Agora, nos concentramos na verificação e declaração para alcançar o Certificado de Tipo Militar, no desenvolvimento tático contínuo e atividades para permitir a entrega completa do sistema de armas", disse Mikael Olsson, Head de Teste e Verificação de Voo na Saab.

No Brasil, as atividades incluem testes nos sistemas de controle de voo e de climatização, além de testes na aeronave em condições climáticas tropicais. Também estão sendo testadas no país características únicas dos caças brasileiros, como integração de armamentos e o sistema de comunicação Link BR2 – que fornece dados criptografados e comunicação de voz entre as aeronaves.

Os ensaios em voo objetivam verificar se a aeronave cumpre todos os requisitos de qualidade, navegabilidade e segurança em voo. Essas atividades são conduzidas por pilotos de prova da Força Aérea Brasileira (FAB), da Embraer e da Saab. Neste processo, o GFTC, que está integrado ao programa de testes em execução em Linköping desde 2017, é uma importante estrutura no país.  

“No GFTC temos os mesmos recursos que na Saab, como o S-RIG, softwares experimentais e outros, o que nos permite executar tarefas similares as realizadas em Linköping. Por trabalharmos em menor escala, temos condições de atuar com mais agilidade, já que há menos pessoal envolvido”, explicou Jonas Jakobsson, piloto de testes da Saab.

A contribuição do piloto da Saab vai além de sua participação em ensaios de voo. Ele tem a missão de transferir conhecimentos e treinar pilotos de ensaio da Força Aérea Brasileira e da Embraer. Estes são requisitos que compõem o amplo pacote de transferência de tecnologia para o país dentro do Programa Gripen. Assim, a empresa sueca supervisiona todo o trabalho realizado em Gavião Peixoto, desde o planejamento até a execução dos voos.